É hora de Esvaziar a sua Gavetinha da Bagunça!

gavetinhaEsses últimos meses foram meses de profundos aprendizados e transformações dentro de mim, que foram potencializadas, acredito eu que pela energia da quaresma. Que veio para limpar e trazer à tona para mim tudo que eu havia deixado debaixo do tapete.

Fazia muito tempo em que eu não sentia tanta dor dentro de mim, eu não sei explicar ao certo, mas simplesmente doía tanto que eu cheguei a duvidar  se era realmente só a dor da minha alma refletindo no meu corpo físico. Então resolvi compartilhar um pouco com vocês da minha experiência ao longo desse processo porque sei que muitas de vocês podem estar passando pela mesma coisa.
Ao longo desses dias me vi em crises de choro horríveis, e me lembro de um trecho de um livro que tinha lido recentemente sobre a saúde da mulher e a metafísica que dizia que “os nossos cistos e miomas são as lagrimas que não choramos”. E então ao invés de bloquear o choro, simplesmente permiti que as lágrimas escorressem pelo meu rosto. Já fazia algum tempo que meus ovários estavam limpos (para quem não conhece a minha história, a síndrome do ovário policístico foi uma das razões que fez eu querer me aprofundar nessa área de atendimentos holísticos e vibracionais) mas acreditei que mesmo sem eles estarem fisicamente ali, as lagrimas não haviam sido choradas e a energia não havia sido verdadeiramente liberada.
E em meio a esse período em que tive aproximadamente uma crise de choro por dia novas situações, traumas, mágoas, palavras não ditas, situações mal resolvidas, desejos e objetivos não concretizados e realizados foram saindo de baixo do tapete.  Foi então que eu percebi que reservei uma parte do meu ser para ter uma “gavetinha da bagunça”, porque vamos admitir todo mundo tem em casa aquela gaveta que serve única e exclusivamente para colocar todas aquelas tranqueiras e coisas que você não sabe mais onde colocar. É aquela gaveta em que você coloca e simplesmente esquece, e ali vão se acumulando muitas coisas que teoricamente não tinham lugar. Então fui colocando ali tudo o que eu achava que não tinha lugar na minha vida, ou que não se encaixava para mim naquele momento. Mas o que acontece quando você resolve abrir a bendita da gavetinha? Você abre ela para procurar e pegar uma coisa, mas é impossível pelo menos mais uma coisinha vir junto, e quando você vê você se surpreende com a quantidade de coisa que cabia em uma gavetinha tão pequena, e simplesmente não havia mais nada que podia fazer a não ser ir puxando cada uma delas e me permitir olhar para cada uma delas.
E assim eu fui fazendo, a cada choro, uma coisa a mais para ser resolvida e transmutada.
Então a reflexão que eu trago para vocês essa semana é:  Quantas coisas você tem colocado na sua gavetinha?
Que tal dar uma olhada para ela com carinho, e buscar resolver uma coisa de cada vez? E se possível buscar não a lotar de bagunça e lixo tóxico. O melhor a fazer é ter coragem e encarar uma coisa de cada vez para conseguir transmutar verdadeiramente todas as situações, dores, traumas e problemas.

Com amor,

Bia

Deixe uma resposta